Terceirização na montagem ajuda empresas a ganharem competitividade

Mais da metade (56,2%) da indústria brasileira utiliza ou já utilizou serviços terceirizados nas etapas diretamente ligadas à estratégia produtiva, como a de montagem e manutenção de equipamentos industriais. Além disso, mais de 15% delas afirmam que uma ou mais linhas de produtos se tornariam inviáveis caso fossem proibidas de terceirizar. A informação é parte da pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) chamada “Sondagem Industrial Especial – Terceirização”, que ouviu 2.330 empresas do setor industrial, incluindo pequenas, médias e grandes, que contrataram serviços de terceiros nos últimos três anos. Seguindo a tendência dessas empresas estão a gaúcha Stara, indústria de implementos agrícolas, e a catarinense Reason, que desenvolve soluções para sistemas elétrico e industrial. As duas empresas firmaram parceria com a Produza, empresa que atua na montagem de placas e produtos eletrônicos. A terceirização dessa etapa do processo tem sido responsável pelo aumento da qualidade final do produto, redução de custos e produção em menor escala sem causar prejuízo para as empresas.

No caso da Stara, a escolha pela terceirização de alguns processos foi um meio de garantir a competitividade no mercado e assegurar produtividade e qualidade dos produtos. A empresa  possui uma forte aliança tecnológica com diversas empresas desde 2007. Já a Reason optou pela parceria porque o volume de produção de placas eletrônicas não justificava o investimento em uma estrutura própria, além de defender o uso de tecnologia totalmente desenvolvida no país.

Na Reason, todos os produtos têm a fabricação de placas eletrônicas terceirizadas, embora a montagem final e alguns testes sejam feitos internamente. O diretor presidente da Reason, Guilherme Stark Bernard, acredita que a parceria tem dado certo devido à especialização da Produza em montagem de placas, que resulta em serviços de ótima qualidade. “Os componentes eletrônico utilizados pela Reason são de última geração, o que requer processo e controle de qualidade muito rigorosos”, afirma Bernard.

A fabricante de máquinas agrícolas Stara terceiriza a montagem de placas eletrônicas há cerca de sete anos e já colheu alguns frutos. Para o diretor de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Cristiano Paim Buss, a história de parceria da Stara com outras empresas foi um dos motivos da mudança da história da agricultura de precisão no Brasil. “Nos transformamos na primeira empresa de máquinas agrícolas a fazer tecnologia própria, com parceiros 100% nacionais. Existiram dificuldades, mas foram todas superadas com trabalho em equipe e cada parceiro elaborando da melhor forma seu papel”, conta Buss.

Essa tendência da indústria terceirizar partes do processo de produtos de alta tecnologia é a grande responsável pela expectativa de crescimento da Produza em 2014, quando a empresa projeta um faturamento de R$ 13 milhões – um salto de 45% sobre o resultado do ano passado. A empresa, com sede em Florianópolis, tem clientes da área de tecnologia que atuam em diversos segmentos – agricultura de precisão, setor elétrico, rastreamento, telecomunicações, equipamentos médicos, geradores eólicos.

Hoje, a Produza opera em duas modalidades. Na industrialização por encomenda, faz-se apenas a montagem das placas com materiais e especificações sugeridas pelo cliente. Na terceirização de compras e produção, a Produza atua com uma estrutura de compras e contatos com fornecedores, além de ficar responsável pela montagem das placas, uma importante solução para empresas com perfil inovador de pequeno porte que não contam com estes departamentos.

YAPC::Brasil irá discutir tecnologia na gestão pública

O uso da tecnologia na gestão pública em prol da sociedade é tema da YAPC::Brasil 2014, dias 19 e 20 de setembro no Hotel Enseada, Itapema (SC). O evento anual reúne os principais experts de todo o Brasil em um ciclo de palestras sobre desenvolvimento de software, empreendedorismo e transparência governamental. As inscrições pode ser feitas até dia 15 de setembro pelo site http://yapcbrasil.org.br.

Além de reunir gestores de TI e líderes regionais dos Perl Mongers, o evento atrai profissionais da tecnologia, estudantes e pesquisadores. A YAPC::Brasil é uma oportunidade para a troca de experiências sobre uso da tecnologia em empresas e órgão públicos e fomenta a melhoria de processos de desenvolvimento e a adoção de novas tecnologias a partir dos cases apresentados.

Um dos cases é o da LeisMunicipais, uma plataforma que agiliza o gerenciamento de leis de 1800 municípios brasileiros como Florianópolis (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). “O site disponibiliza 2,5 milhões de legislação para consulta das leis consolidadas e todo o histórico de alterações”, afirma o CEO da LeisMunicipais, Cícero Liz.

Entre as palestras confirmadas destacam-se “Desenvolvimento ultra ágil de aplicações web modernas”, com Blabos de Blebe/Estante Virtual; “Dados abertos, big data e information visualization”, com Rondon de Andrade/IOOP; e “Descobrindo os bairros do Brasil”, com Leonardo Ruoso/Urby. Confira a programação completa no site do evento.

Sobre a YAPC::Brasil

A YAPC, conferência sobre o uso da linguagem Perl, teve origem em Pittsburgh, EUA, em 1999. A primeira edição europeia e a primeira brasileira foram realizadas seis anos depois, em 2005. Este ano a cidade catarinense de Itapema sediará o evento sob coordenação geral de Cícero Liz, CEO e co-fundador do LeisMunicipais.

Os eventos anuais têm uma razão de ser: o Perl, inicialmente uma ferramenta para administradores de sistemas expandiu, evoluiu e hoje é uma poderosa linguagem de uso geral com aplicação nos mais diversos campos como suporte a gerenciamento de sistemas, processamento de gráficos, acesso a banco de dados, aplicações web e gráficas e engenharia genética. “Perl é uma linguagem bastante efetiva, com a qual os desenvolvedores conseguem realizar seu trabalho sem que a linguagem fique em seu caminho”, explica o palestrante Leonardo Ruoso.

Criada em 1987 por Larry Wall, a linguagem é aprimorada constantemente pela comunidade de usuários, o que a diferencia de outras linguagens que estão na mão de uma única pessoa ou empresa. “A comunidade leva muito sério a questão da compatibilidade com versões anteriores, pois há muito código escrito nos primeiros anos da internet que funciona ainda em produção, misturado a código recente, e assim tem de ser, pois Perl é conhecida como a cola da internet”, ressalta Ruoso.

A melhor forma de se comunicar com a comunidade brasileira de Perl hackers é através do IRC no servidor irc.perl.org, acessando os canais mais movimentados como #sao-paulo.pm e #rio.pm. O canal da coordenação do evento é o #yapcbrasil no mesmo servidor.​

Inovações tecnológicas e deficiência: mente e máquina unidas

O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, nascido em São Paulo, vem revolucionando a ciência contemporânea e pesquisa em saúde com tecnologias emergentes, atuando principalmente nos seguintes temas: informática médica, eletrofisiologia, sistemas sensoriais, sistema somestésico e próteses neurológicas. Nicolelis foi considerado um dos 20 maiores cientistas do mundo no começo da década passada, segundo a revista Scientific American. Atualmente é professor de Neurociência da Universidade Duke nos EUA, dos departamentos de Neurobiologia, Engenharia Biomédica e Psicologia, e é fundador do centro de neuroengenharia desta universidade. No Brasil, é fundador e diretor científico do Instituto Internacional de Neurociência Edmond e Lily Safra em Natal, no Rio Grande do Norte.

Suas linhas de pesquisa com abordagem interdisciplinar incluem o estudo da variedade de sistemas neuronais nos mamíferos, estudo da plasticidade sensório-motora em adultos, estudo da base neuronal da aprendizagem sensório-motora, desenvolvimento de interfaces cérebro-máquina para restaurar a função neurológica e base neuronal da percepção tátil. Seus estudos tecnológicos inovadores objetivam transformar a realidade funcional da pessoa com deficiência em busca de uma sociedade mais ativa e inclusiva. Liberar o vasto potencial das pessoas com deficiência são objetivos comuns evidenciados em inúmeras pesquisas realizadas por Miguel Nicolelis, como por exemplo, o controle de braços robóticos para pessoas que sofreram uma amputação e exoesqueletos para tetraplégicos voltarem a caminhar.

Suas descobertas e aplicações práticas possibilitam a melhoria e o restabelecimento das restrições funcionais de muitas pessoas com deficiência. Ressalta-se que outros distúrbios neurológicos e psiquiátricos também são estudados por Nicolelis incluindo a doença de Parkinson, epilepsia, esquizofrenia déficit de atenção, plasticidade sensorial e sono. Suas pesquisas pioneiras e inovadoras permitem um entendimento neurofisiológico diferenciado e estabelecem associações práticas para a mudança de paradigmas com fortes contribuições sociais de acessibilidade, resgate da autoestima, funcionalidade e qualidade de vida das pessoas com deficiência.

Nicolelis nos mostra como a tecnologia pode ser capaz de transformar a realidade, sobretudo das pessoas com deficiência tornando-as mais inclusivas e eficientes. Suas notáveis contribuições oferecem suporte para o estudo da cura de alguns distúrbios neurológicos graves como a doença de Parkinson e o Mal de Alzheimer. A aplicação prática de suas pesquisas estabelece relação com outros campos da ciência. Mente e máquina trabalhando juntos cruzando as fronteiras do pensamento e melhorando a saúde humana.

Programe-se 

Fronteiras do Pensamento 

O quê: conferência com Paul Bloom (ingressos para as palestras de Mia Couto e Miguel Nicolelis, dias 25 e 26, já esgotaram)

Quando: dia 27, às 20h

Onde: Teatro Pedro Ivo (Rodovia SC-401, km 5, 4.600, Saco Grande, Florianópolis)

Quanto: R$ 40 e R$ 20 (meia). À venda no Blueticket.

Informações: (48) 3216-3432

Com informações de Diário Catarinense