Desafios e oportunidades da Lei do Bem em debate no VerticAlmoço de setembro

A Lei do Bem, criada em 2005 e que concede incentivos fiscais às pessoas jurídicas que fazem pesquisa e desenvolvimento em inovação tecnológica, será o tema do próximo VerticAlmoço que a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) promove nesta terça-feira (02.09), ao meio-dia, no Maria do Mar Hotel, em Florianópolis (SC). O convidado é um dos maiores especialistas sobre o Sistema Nacional de Inovação no país, o empresário e consultor Rafael Levy, engenheiro elétrico (Unicamp) e com formação em Open Innovation e Corporate Venture pela Universidade da Califórnia – Berkeley.

Em 2013, segundo dados da Receita Federal, a renúncia fiscal para fomento à inovação somou R$ 7,2 bilhões – deste total, R$ 2,2 bilhões foram concedidos via Lei do Bem. Na palestra, Levy vai apresentar as questões práticas para aplicação dos incentivos pelas empresas e irá compartilhar os quase dez anos de experiência na implantação destes benefícios às empresas inovadoras. Entre os principais objetivos desta legislação está, além do desenvolvimento de PD&I nas empresas, a criação de processos e produtos inovadores – segundo a Lei do Bem, a pesquisa não precisa estar necessariamente relacionada à atividade fim da empresa.

As inscrições para o Verticalmoço devem ser feitas pelo link: www.eventick.com.br/leidobem. O almoço é por adesão e custa R$ 35.

 

SERVIÇO:

Data: 02 de setembro de 2014

Horário de início: 12h

Local: Hotel Maria do Mar (Rod. João Paulo, 2285 –  Saco Grande, Florianópolis/SC)

Almoço: R$ 35,00

Estacionamento terceirizado: R$10,00

Telefone: (48) 2107-2727

Link do evento:  http://www.eventick.com.br/leidobem

Terceirização na montagem ajuda empresas a ganharem competitividade

Mais da metade (56,2%) da indústria brasileira utiliza ou já utilizou serviços terceirizados nas etapas diretamente ligadas à estratégia produtiva, como a de montagem e manutenção de equipamentos industriais. Além disso, mais de 15% delas afirmam que uma ou mais linhas de produtos se tornariam inviáveis caso fossem proibidas de terceirizar. A informação é parte da pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) chamada “Sondagem Industrial Especial – Terceirização”, que ouviu 2.330 empresas do setor industrial, incluindo pequenas, médias e grandes, que contrataram serviços de terceiros nos últimos três anos. Seguindo a tendência dessas empresas estão a gaúcha Stara, indústria de implementos agrícolas, e a catarinense Reason, que desenvolve soluções para sistemas elétrico e industrial. As duas empresas firmaram parceria com a Produza, empresa que atua na montagem de placas e produtos eletrônicos. A terceirização dessa etapa do processo tem sido responsável pelo aumento da qualidade final do produto, redução de custos e produção em menor escala sem causar prejuízo para as empresas.

No caso da Stara, a escolha pela terceirização de alguns processos foi um meio de garantir a competitividade no mercado e assegurar produtividade e qualidade dos produtos. A empresa  possui uma forte aliança tecnológica com diversas empresas desde 2007. Já a Reason optou pela parceria porque o volume de produção de placas eletrônicas não justificava o investimento em uma estrutura própria, além de defender o uso de tecnologia totalmente desenvolvida no país.

Na Reason, todos os produtos têm a fabricação de placas eletrônicas terceirizadas, embora a montagem final e alguns testes sejam feitos internamente. O diretor presidente da Reason, Guilherme Stark Bernard, acredita que a parceria tem dado certo devido à especialização da Produza em montagem de placas, que resulta em serviços de ótima qualidade. “Os componentes eletrônico utilizados pela Reason são de última geração, o que requer processo e controle de qualidade muito rigorosos”, afirma Bernard.

A fabricante de máquinas agrícolas Stara terceiriza a montagem de placas eletrônicas há cerca de sete anos e já colheu alguns frutos. Para o diretor de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Cristiano Paim Buss, a história de parceria da Stara com outras empresas foi um dos motivos da mudança da história da agricultura de precisão no Brasil. “Nos transformamos na primeira empresa de máquinas agrícolas a fazer tecnologia própria, com parceiros 100% nacionais. Existiram dificuldades, mas foram todas superadas com trabalho em equipe e cada parceiro elaborando da melhor forma seu papel”, conta Buss.

Essa tendência da indústria terceirizar partes do processo de produtos de alta tecnologia é a grande responsável pela expectativa de crescimento da Produza em 2014, quando a empresa projeta um faturamento de R$ 13 milhões – um salto de 45% sobre o resultado do ano passado. A empresa, com sede em Florianópolis, tem clientes da área de tecnologia que atuam em diversos segmentos – agricultura de precisão, setor elétrico, rastreamento, telecomunicações, equipamentos médicos, geradores eólicos.

Hoje, a Produza opera em duas modalidades. Na industrialização por encomenda, faz-se apenas a montagem das placas com materiais e especificações sugeridas pelo cliente. Na terceirização de compras e produção, a Produza atua com uma estrutura de compras e contatos com fornecedores, além de ficar responsável pela montagem das placas, uma importante solução para empresas com perfil inovador de pequeno porte que não contam com estes departamentos.

YAPC::Brasil irá discutir tecnologia na gestão pública

O uso da tecnologia na gestão pública em prol da sociedade é tema da YAPC::Brasil 2014, dias 19 e 20 de setembro no Hotel Enseada, Itapema (SC). O evento anual reúne os principais experts de todo o Brasil em um ciclo de palestras sobre desenvolvimento de software, empreendedorismo e transparência governamental. As inscrições pode ser feitas até dia 15 de setembro pelo site http://yapcbrasil.org.br.

Além de reunir gestores de TI e líderes regionais dos Perl Mongers, o evento atrai profissionais da tecnologia, estudantes e pesquisadores. A YAPC::Brasil é uma oportunidade para a troca de experiências sobre uso da tecnologia em empresas e órgão públicos e fomenta a melhoria de processos de desenvolvimento e a adoção de novas tecnologias a partir dos cases apresentados.

Um dos cases é o da LeisMunicipais, uma plataforma que agiliza o gerenciamento de leis de 1800 municípios brasileiros como Florianópolis (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). “O site disponibiliza 2,5 milhões de legislação para consulta das leis consolidadas e todo o histórico de alterações”, afirma o CEO da LeisMunicipais, Cícero Liz.

Entre as palestras confirmadas destacam-se “Desenvolvimento ultra ágil de aplicações web modernas”, com Blabos de Blebe/Estante Virtual; “Dados abertos, big data e information visualization”, com Rondon de Andrade/IOOP; e “Descobrindo os bairros do Brasil”, com Leonardo Ruoso/Urby. Confira a programação completa no site do evento.

Sobre a YAPC::Brasil

A YAPC, conferência sobre o uso da linguagem Perl, teve origem em Pittsburgh, EUA, em 1999. A primeira edição europeia e a primeira brasileira foram realizadas seis anos depois, em 2005. Este ano a cidade catarinense de Itapema sediará o evento sob coordenação geral de Cícero Liz, CEO e co-fundador do LeisMunicipais.

Os eventos anuais têm uma razão de ser: o Perl, inicialmente uma ferramenta para administradores de sistemas expandiu, evoluiu e hoje é uma poderosa linguagem de uso geral com aplicação nos mais diversos campos como suporte a gerenciamento de sistemas, processamento de gráficos, acesso a banco de dados, aplicações web e gráficas e engenharia genética. “Perl é uma linguagem bastante efetiva, com a qual os desenvolvedores conseguem realizar seu trabalho sem que a linguagem fique em seu caminho”, explica o palestrante Leonardo Ruoso.

Criada em 1987 por Larry Wall, a linguagem é aprimorada constantemente pela comunidade de usuários, o que a diferencia de outras linguagens que estão na mão de uma única pessoa ou empresa. “A comunidade leva muito sério a questão da compatibilidade com versões anteriores, pois há muito código escrito nos primeiros anos da internet que funciona ainda em produção, misturado a código recente, e assim tem de ser, pois Perl é conhecida como a cola da internet”, ressalta Ruoso.

A melhor forma de se comunicar com a comunidade brasileira de Perl hackers é através do IRC no servidor irc.perl.org, acessando os canais mais movimentados como #sao-paulo.pm e #rio.pm. O canal da coordenação do evento é o #yapcbrasil no mesmo servidor.​